O QUE É PARAPSICOLOGIA CLÍNICA?

Texto escrito por Flávio Amaral*, terapeuta do Alecrim.

psi-02Em primeiro lugar é preciso definir a Parapsicologia. Trata-se do campo de estudos dedicado a compreender os fenômenos e experiências inexplicados pela nossa compreensão de mundo atual, popularmente chamados de “paranormais”, “sobrenaturais”. Na literatura técnica, estes são chamados de fenômenos psi e os relacionados às pesquisas da sobrevivência do ser. Resumidamente, tratam-se das ocorrências onde parece ocorrer uma interação direta da mente com o mundo exterior, sem a mediação dos sentidos físicos.

Fenômenos psi são divididos em 4 categorias principais.

  • Clarividência: a percepção direta, pela mente, de ocorrências, sem a participação dos sentidos físicos conhecidos (visão, tato, audição etc).
  • Precognição: a percepção direta, pela mente, de ocorrências futuras, ou seja, que ainda não aconteceram (e sem um motivo lógico através do qual essa ocorrência poderia ser prevista).
  • Telepatia: a captação direta, pela mente, de informação de outra mente (popularmente conhecida como trasmissão de pensamento).
  • Psicocinese: a influência direta da mente sobre a matéria, sem o uso de outros meios físicos.

psi-04

Quanto à sobrevivência do ser incluem-se aqueles que sugerem a existência do indivíduo para além da corpo biológico, ou manifestação de formas de vida inteligente para além do mundo material. Por exemplo:

psi-01

  • Experiência fora do corpo: desdobramento ou viagem astral, a experiência de perceber-se consciente em local distante do próprio corpo físico.
  • Experiência de quase morte: experiências de desdobramento ocorridas em situações de risco, acidentes ou procedimentos médicos emergenciais.
  • Poltergeist: fenômenos nos quais lugares parecem tomados por alguma força inteligente e não identificada.
  • Aparições e assombrações: experiências de contato, percepção e até comunicação com seres de origem desconhecida, espiritual.
  • Fenômenos mediúnicos: incorporações, psicografia, psicofonia, dentro outros nos quais o médium parece transmitir informação originada de entidades espirituais.
  • Transcomunicação instrumental: utilização de instrumentos, rádios, televisões etc, para captação de informação cuja fonte parece ser espiritual.
  • Retrocognição: lembrança de ter vivenciado fatos ou conhecer informações de períodos prévios a própria vida, e cujo conhecimento por outros meios não consegue ser explicado.

A pesquisa em Parapsicologia começou junto com o nascimento da Psicologia, em meados do Século XIX. Entretanto, desde lá ela enfrenta dificuldade de inserção nas instituições acadêmicas oficiais. Por isso, pesquisadores da área tiram seus títulos universitários em outras áreas, como Psicologia, Física, Antropologia, Filosofia etc, e buscam espaço nestas ciências para conduzir suas pesquisas.

Fora da área acadêmica, a Parapsicologia se desenvolveu como um campo bastante independente, com boa liberdade para ser inventado e reinventado por seus profissionais. Por isso mesmo, o leitor encontrará definições e abordagens bastante diferentes entre um parapsicólogo e outro.

E a Parapsicologia Clínica?

Normalmente, o parapsicólogo dedica-se a atividade terapêutica, inclusive orientação e aconselhamento. Isto significa atender às pessoas que tenham interesses na vivência, ou passem por algum tipo de dificuldade, com os fenômenos e experiências inexplicáveis mencionados acima.

Para isso, o parapsicólogo busca auxiliar o consulente a compreender o que se passa consigo, encontrar os fatores que predispõem ou produzem estas ocorrências, entender o significado daquilo que experimenta e adotar medidas para abordar estes fenômenos visando o reestabelecimento de um equilíbrio maior.
psi-03
Entre as ferramentas mais utilizadas pelos parapsicólogos clínicos incluem-se o relaxamento e a hipnose, através dos quais o consulente chega a estados modificados de consciência, nos quais pode entrar em contato com conteúdos subconscientes os quais o ajudam a compreender-se. Por isso, a hipnose ajuda também em outros tipos de sofrimento que não necessariamente estejam relacionados com experiências paranormais, por exemplo, insônia, ansiedade, tristeza ou as dificuldades que todos temos para lidar com os desafios da vida. Compete, claro, ao parapsicólogo, ter competência não apenas para levar o consulente ao estado hipnótico, mas também ajudá-lo a compreender e fortalecer-se a partir dos conteúdos vivenciados.

Mais informações: www.arquivopsi.com

flavio* Flávio Amaral:  Iniciei minha caminhada profissional como economista (UFSC) e mestre em Administração de Empresas (UNINTER). E como junto com a matéria, cultivo o espírito, também sou formado em Parapsicologia e Ciências Mentais (IPCMJ). Atuo em grupos espiritualistas desde 1999, com destaque em Conscienciologia e Projeciologia, principalmente como professor, facilitador de dinâmicas espirituais, palestrante e escritor. Atendo com hipnose, terapia de vidas passadas e orientação sobre fenômenos parapsicológicos.

Contatos:
48-9105-3080 (Vivo/Whatsapp)
flavio@arquivopsi.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s